Notícia


“Não vai demorar a rede balançar”, promete Elcarlos atacante da Juazeirense


O drible curto em velocidade e o chute forte com a perna esquerda atraiu as atenções da diretoria da Juazeirense e, após uma bem conduzida negociação, o atacante Elcarlos, 26 anos, desembarcava na terra de Daniel Alves para vestir a camisa do Cancão de Fogo pela primeira vez.

Em pouco tempo, Elcarlos Gomes Lima Júnior, nascido na cidade de Miranorte-TO, em 21 de dezembro de 1994, se diz totalmente adaptado à cidade e ao clube que o acolheu: “A cidade é muito bonita, e o povo é de uma simpatia contagiante. Tudo isso facilitou a minha integração com o clube e a torcida” – garante o jogador, que atua pela primeira vez na região Nordeste.

Com a carreira iniciada na base do Goiás, Elcarlos emprestou seu talento ao Atlético e CRAC, equipes do mesmo estado, Boa Esporte/MG, Moto Club/MA e Brasiliense/DF, de onde saiu para jogar no Cancão de Fogo.

Fã do jogador português Cristiano Ronaldo, o atacante conversou com o site na última quinta-feira, após o treino no Adauto Moraes.

Pergunta: Esse ano é sua primeira experiência atuando por uma equipe nordestina. Qual a sua impressão sobre a Juazeirense?

Resposta: Quando cheguei, pouco sabia da história do clube, a não ser as boas informações passadas por jogadores que estiveram aqui, e confesso que fiquei surpreso porque descobri que a Juazeirense é muito mais que um time de futebol. Com o passar do tempo, conhecendo pessoas e o clube, descobri que fiz a escolha certa quando decidi vir jogar aqui.

Pergunta: Você participou de toda preparação e trabalhou com três treinadores diferentes. O que mudou desde o começo?

Resposta: Eu acho que individual e coletivamente nós jogadores e o próprio time evoluímos muito. A nossa pré-temporada foi muito puxada, exigiu muito de todos nós, e a evolução aconteceu naturalmente. Penso que hoje nós temos um time mais enquadrado, que sabe o que faz dentro do campo.

Pergunta: Você acredita que o time está mais confiante?

Resposta: Com certeza. O atleta, conforme vai jogando, adquire ritmo de jogo e ganha confiança para ousar mais, seja improvisar num drible ou surpreender num chute bem colocado. Além da condição física, que melhora a cada jogo, porque é diferente de um treino, que não vale três pontos. São vários fatores que contribuem para que o desempenho melhore e os bons resultados sejam conquistados.

Pergunta: Como é sua relação com a torcida?

Resposta: Muito boa. Já deu pra perceber que é uma torcida fiel, que apoia em todos os momentos e comparece ao estádio para dar o seu incentivo.

Pergunta: Nos cinco primeiros jogos você passou em branco. Quando a torcida vai comemorar os gols de Elcarlos?

Resposta: Já me cobraram isso, até pessoas próximas questionaram. Quero garantir que estou me esforçando ao máximo. No último jogo, a bola chegou a raspar a trave, mas não entrou, infelizmente. Não vai demorar para eu fazer a rede balançar, prometo. Quem sabe ele não chega numa hora importante, quando o clube mais precisar.

Pergunta: A vitória contra a Jacuipense colocou a Juazeirense no caminho da classificação, mas o próximo adversário é um conceituado concorrente que luta pelo mesmo objetivo. Como você projeta esse encontro?

Resposta: Nunca joguei contra, mas acompanhamos todos os nossos adversários do campeonato e sabemos que será um jogo difícil enfrentar o Fluminense, que joga em casa. O fator campo é importante, mas nossa equipe procura manter o mesmo padrão, seja atuando fora ou em casa, e com o Fluminense não será diferente. Estou muito otimista e acredito que nosso time caminha a passos largos para garantir uma vaga na segunda fase.

 

Carlos Humberto - Ascom / Juazeirense